Publicado em

Por Quê Você Deveria Estar Usando um CMS

A Web é uma plataforma extremamente dinâmica. Todos os dias surgem tecnologias novas. Estamos vendo surgir o HTML 5 e o CSS 3. O jQuery está cada vez melhor. E estão nascendo outras técnicas para construir sites e aplicações, como o design responsivo.

Tudo isso pra facilitar a vida de quem faz a Web.

Porém, ainda há pessoas que caem no infortúnio de continuar fazendo seus sites da mesma forma que faziam há dez anos. E isso, cria projetos mal realizados e clientes insatisfeitos.

E, no final das contas, alguém terá que apagar os incêndios, quando o site quebrar em um tablet, por exemplo.

Atualmente, existem três formas principais de fazer um site:

  1. Criá-lo com arquivos HTML estáticos;
  2. Programar todo o site, com uma linguagem de programação e um banco de dados;
  3. Utilizar um Sistema de Gerenciamento de Conteúdo (CMS), como o WordPress, ou Drupal;

Para a maioria dos casos, eu lhe digo: você deve utilizar um CMS!

Explico o porquê…

O Problema de Construir o Site com Arquivos HTML

Ainda há sites criados com páginas HTML simples que não são feitas para mudar. Principalmente os que foram feitos em Flash.

Estas páginas são fáceis e rápidas de fazer. E assim que o desenvolvedor enviá-las para o servidor, o site está online.

Porém, este método tem vários problemas:

  • Adicionar uma página nova pode exigir alterações manuais em todas as outras páginas;
  • Mudar elementos como menus e headers, também vão exigir mudanças em todas as outras páginas (a não ser que você use iframes, mas se você faz isso, meus pêsames);
  • Quando o cliente decidir mudar o visual e estrutura do site, vai haver muito retrabalho. É melhor jogar tudo fora e começar outro novo;
  • Fica muito mais fácil de acontecerem erros, devido a links quebrados, ou tags escritas incorretamente (afinal, qualquer um pode errar uma tag, às 3h da manhã, tendo que entregar tudo às 8h);
  • Segurança e técnicas novas de otimização serão difíceis de serem adicionadas, devido aos primeiros itens desta lista;

Fazer todo um site com páginas estáticas não é viável, nem para empresas, nem para freelancers, nem para ninguém. Ponto.

Tais páginas consumem muito tempo e esforço para manter. (Haverá casos em que essa é a melhor opção, como landing pages, mas fica pra outro post)

Próximo.

O Risco de Programar todo o Site do Zero

Outra forma muito comum de fazer sites é programá-lo todo do zero. Desde a página inicial, até o login e painel administrativo. Conheço várias agências, e freelancers, que fazem isso e penso:

Como esses caras estão perdendo um tempo valioso!

Explico:

  • Mudar o visual e estrutura vai exigir retrabalho, a não ser que o site tenha sido projetado pra isso, e normalmente não é;
  • O site vai necessitar de programadores para produzi-lo e mantê-lo, pra sempre;
  • Falhas de segurança podem aparecer, e podem comprometer a integridade das informações dos visitantes e consumidores;
  • Programar todas as funcionalidades levará tempo, e poderão ser entregues com erros (bugs);
  • O código será definido pelos programadores e ficará difícil de fazer correções ou melhorias. Se a pessoa sair o projeto vira uma incógnita que ninguém saberá usar;

Desenvolver um site por completo é como desenvolver um software: um processo complicado, que consome muito tempo, esforço e recursos. E tudo isso custa dinheiro.

Se o seu cliente quer que você trabalhe dessa forma, converse (muito) para convencê-lo do contrário. Ou cobre um valor mais caro. Afinal, seus custos serão altos.

É uma opção financeiramente inviável para empresas, agências e freelancers, devido ao alto custo de produção e manutenção.

Mas, existe uma saída…

Utilizar um CMS

Caso você não tenha se convencido no tópico anterior, vou lhe contar uma coisa:

Todas as funcionalidades básicas que um site deve ter já estão prontas, apenas para você ir lá e usar.

Por isso digo para você não programar “do zero”. Não reinvente a roda. Estas funcionalidades estão incluídas nos melhores CMS’s, e a maioria é feita em PHP e MySQL, que você já deve conhecer.

Um CMS gerencia todas as funcionalidades do seu site, ou dos sites dos seus clientes. Cabe a você, apenas, aprender a usá-lo e aprender a adaptá-lo às suas necessidades.

Os bons CMS’s já trazem funções como:

  • Gerenciamento de usuários, logins, permissões
  • Categorização de conteúdos
  • Construção de menus
  • Temas visuais para todas as páginas
  • Mecanismos de imagens e vídeos para as páginas
  • Sistemas de blogs
  • Formulários de contato
  • Tradução e internacionalização

Além de ter as funções básicas do site, os CMS’s permitem a expansão de suas funcionalidades, através de módulos e plugins. Se você for fazer um site de academia, por exemplo, você pode criar um plugin que calcula o IMC dos seus visitantes.

O tema visual do site, em um CMS, fica muito mais prático de ser criado e alterado, além de já existirem vários prontos, tanto gratuitos como pagos. Tudo isso diminui seu tempo de produção.

Mas, o maior benefício de usar um CMS é que você fica livre para se concentrar nos conteúdos e funcionamento do site, ao invés de ficar programando funcionalidades como cadastros de notícias, por exemplo (isso levaria 5 minutos com um CMS).

Concluindo…

Se você é um desenvolvedor ou designer, comece a aprender a usar e a manter um CMS. Ele vai, praticamente, remover todo o trabalho repetitivo que você tem e lhe permitirá focar na sua criatividade.

Se você é uma empresa e vai contratar alguém, ou outra empresa, para fazer seu website, exija que seja utilizado um CMS (e estude-o) para que você tenha controle sobre seu site quando for entregue. Assim você não fica preso a um fornecedor.

Se você é uma agência web, considere começar a usar um CMS agora. Você vai conseguir reduzir custos, aumentar margem de lucro e produtividade, entregar projetos de alta qualidade e ter seu cliente satisfeito.

Eu recomendo que você use o WordPress como CMS. Ele atende, praticamente, qualquer tipo de site. Outra opção boa é o Drupal.

2 comentários sobre “Por Quê Você Deveria Estar Usando um CMS

  1. Muito didáticos esses artigos da WebDevAcademy. Ótima contribuição para os desenvolvedores. Obrigado.

    1. Muito obrigado por acompanhar, Paulo!

      Abs.
      Ruan

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *